quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Apresento-lhes o meu “Segurança” particular, “Fisioterapeuta” exclusivo e “Terapeuta” nota 10!



Hoje eu vou falar um pouco sobre um “ser-zinho” muito especial que se chama Piti. É o meu cachorro de estimação, da raça dachshund (mais conhecido como “salsicha”) e que tem 5 anos e 3 meses. Além dele ser um animalzinho muito especial e querido (muito lindo também...você não acha?), com certeza ele é um Grande Parceiro no meu dia-a-dia de reabilitação também, e você vai entender o porquê, após ler este artigo.

Eu e a minha mãe o ganhamos do meu irmão mais velho, em Março de 2004, e desde então, é mais uma alegria em minha vida. Assim que o vi, foi um “amor à primeira vista” o que senti por ele, e acredito que esse sentimento foi recíproco, pois ele literalmente “me elegeu” para ser a sua dona.

Ele tem um jeito bem “particular” de ser... digamos que ele seja um tanto tímido e anti-social com qualquer pessoa (quero dizer anti-social MESMO!), pois é bastante desconfiado, muito arisco e nunca se sente à vontade quando alguém tenta se aproximar dele (segundo a veterinária, provavelmente ele deva ter sofrido algum tipo de “trauma” ainda quando filhote. Eu não sei ao certo, porque quando nós o ganhamos, ele já estava com aproximadamente nove meses), mas incrivelmente quando ficamos apenas nós dois, ele se transforma da “água para o vinho”, pois se torna um verdadeiro companheiro, deixa de ser arisco, é muito carinhoso e adora pedir um colo apenas para ganhar um carinho também (espertinho ele não?).

Além de ele ser um grande amigo digo que ele é também, meu “segurança particular e exclusivo”, porque ele me segue o tempo todo... por onde quer que eu ande... lá vai ele atrás de mim...e ainda começa a latir à qualquer “movimento ou barulho suspeito” (e para ele tudo e todos são suspeitos...imagine a minha situação...)

E ele também é o meu “fisioterapeuta particular”, porque nesses anos em que ele está comigo, durante as minhas atividades costumeiras (exercícios diários) ele sempre fica apenas me observando de longe sem nunca me atrapalhar, mas quando percebe que eu terminei e que estou disponível, ele começa a querer chamar a minha atenção fazendo “charme e graça”, trazendo sempre algum de seus brinquedos para que eu brinque com ele, e por essa razão eu acabo fazendo exercícios extras com ele também (que eu adoro), porque na medida do possível sempre procuro fazer com que os nossos momentos juntos, que são de muita alegria, descontração e prazer (muito agradáveis mesmo), também se tornem muito “proveitosos” unindo do útil ao agradável.

Isso porque nesses momentos eu sempre acabo fazendo os mais variados movimentos com o meu corpo (principalmente com os meus braços), que vão desde pequenos movimentos até movimentos bem mais amplos, usando ou não a força, enfim, e assim conseqüentemente o meu reflexo e a minha agilidade sobre esses movimentos, também estão sempre sendo estimulados, o que para mim é ótimo.

E veja que maravilha... além de tudo isso, como uma conseqüência puramente natural e agradável, estou fazendo com que o Piti acabe se exercitando também, já que ele não sai para passear. E pensando nisso “inventei” uma outra ótima maneira de fazer com que ele realmente se exercite, que é fazer ele correr bastante (e ele adora). É quando jogo uma “almofadinha” (que eu mesma fiz) com o meu braço mais frágil (e você acha que eu perderia uma oportunidade de me exercitar um pouquinho mais com o Piti?) o mais longe que eu consiga para que ele vá buscar para mim... e ele vai... mesmo sem nunca tê-lo ensinado isso.

E por final, como o Piti é muito alegre, carinhoso e amoroso o tempo todo comigo, ele acaba me trazendo apenas alegria e bem-estar em todos os sentidos, tornando-se assim o meu “terapeuta nota 10”.

Sabe...desde quando ele chegou em casa, eu me propus a cuidar pessoalmente do bem-estar dele, que vai desde a alimentação à limpeza da área onde ele fica. E para mim, isso foi também apenas mais uma maneira descontraída e prazerosa que encontrei de me “exercitar”, pois principalmente quando limpo o quintal jogando uma água com a mangueira (o que para mim é sempre uma "aventura"...) por exemplo, eu acabo fazendo movimentos que exigem trabalhar com o meu equilíbrio, fazendo com que ele esteja sempre sendo bastante estimulado, já que uma das seqüelas que tive foi a perda parcial de equilíbrio corporal.

E é por tudo isso que eu digo que o Piti é o meu Grande Parceiro, não só no processo da minha reabilitação, mas também na minha vida como um todo.

E é com muita alegria e sinceridade, que posso afirmar a você que continuo tendo muitos resultados positivos com todas essas "atividades terapêuticas", pois estou alcançando progressos bastante significativos que chegam a ser muito evidentes e até surpreendentes. Não tenho dúvidas, de que o Piti não só deu, mas como também continua dando uma Enorme Contribuição, para que esse meu processo de reabilitação continue sempre em marcha “progressiva”.

7 comentários:

tinandrade disse...

Esse teu segurança é mesmo uma FERA! Putz, já perdi a esperança de ele se acostumar comigo. O problema é que se ele me morder, pode ter uma dorrrrrr de barriga danada! rsrsrsrs... AMEI esta foto que fez dele! Beijos!

Silvia disse...

Ele é lindinho mesmo.
Eu falo, e acredito nisso, que cães são anjos de pelos que Deus colocou no nosso caminho para aprendermos o que é amor incondicional.

Isa Grou disse...

Olá Silvia!

Você está coberta de razão...tbém acredito nisso.
Obrigada, seja muito bem vinda e volte sempre!
Bjs.

Sonia Beth disse...

Isa Grou, adorei o Piti e você também.
Os animais são ótimos terapeutas, mesmo!
beijocas querida

Isa Grou disse...

Olá Sonia,

Muito obrigada e obrigada também por ter vindo e seja muito bem-vinda e este espaço, viu!

Beijos.

Reyel disse...

Lindo, Isa!

Eu tenho um gato preto. Ele é de estimação da família inteira. Muito querido tbm.

Bjo, Isa, e boa noite!

Isa Grou disse...

Olá Reyel!

Obrigada querida!
Esses nossos "anjos de quatro patas" são muito especiais, não é verdade?

Beijos de LUZ.
Boa noite p/ vc também, viu?!